O Fim do Capitalismo X Socialismo – O debate válido é “qual forma de capitalismo”.

Alisson Ranieri Berkenbrock

Conclui a leitura dessa obra na semana passada, mas como estava focado em outros estudos, deixei para comentá-la somente hoje, após encerrar a maratona de estudos para o concurso que farei amanhã. Então, amigos, vamos lá.

Para aqueles que não sabem, um dogma do socialismo é a economia planificada e, portanto, centralizada. Essa economia substitui o mercado e suas leis. Todos governos socialistas do século XX e os que insistem em existirem em pleno século XXI, a adotam. O estado deve controlar toda via econômica num estado de socialismo.

Foi assim que URSS, Romênia, Albânia, DDR e, principalmente a China, promoveram cerceamentos pesados as liberdades individuais de seus povos. No caso da URSS e da China a situação foi mais catastrófica, resultando em quase uma centena de milhão de mortos por FOME.

Na Ucrânia, durante o inverno de 1931-1932, sete milhões de pessoas perderam suas vidas por inanição, e o pior é que comida tinha. Eles foram impedidos de se alimentarem com os grãos que eles próprios haviam plantados, tudo isso porque Stalin queria fazer se seu país um dos maiores exportadores de grãos do mundo, e tudo isso apenas para mascarar o fracasso do sistema.

Vale ressaltar que o número de mortos pela fome na Ucrânia é maior que o das vitimas do holocausto, ou seja, um único evento socialista conseguiu ser mais desumano que o antissemitismo do nacional socialismo alemão (Nazismo).

Na China, o Grande Salto Adiante, plano megalomaníaco de Mao Tsé-Tung, que pretendia fazer da China a maior produtora de grãos e aço do mundo, o resultado da economia planificada foi de 45 MILHÕES DE MORTOS PELA FOME.

O governo exportava tudo que o povo produzia. A Rússia e a DDR era seus maiores consumidores de commodities, e para vender uma imagem de sucesso, Mao exportava maior parte da produção de arroz chinês, deixando seu próprio povo com fome. Não demorou muito para que a produção caísse drasticamente, afinal, “saco vazio não pára de pé”, e as colheitas sequer davam para abastecer metade das províncias do país. Tudo isso acontecia enquanto os líderes se banqueteavam, pois o governo era o primeiro a receber sua cota de suprimentos, que aumentava ano após ano.
Mães desesperadas, inicialmente, vendiam seus filhos, e mais tarde os davam a famílias que pudesse criá-los. No auge da grade fome, pessoas que morriam por inanição se transformavam em refeições para os famintos, e não raramente muitos moribundos eram assassinados para servirem de fonte de proteína aos que ainda tinham alguma força no corpo.

Para finalizar, quero deixar claro uma coisa, antes que algum desinformado venha “falar” besteira. Todos esses governos que citei foram SOCIALISTAS. Não venham dizer que eram comunistas, porque o comunismo de facto nunca existiu, e nunca existirá pelo simples fato de prometer construir um reino de perfeição.

O capitalismo de mercado, por mais defeitos que possa ter, é o responsável pelos confortos que temos hoje, principalmente pelo conforto de abrir a dispensa e vê-la cheia.
Para mim esse debate Capitalismo X Socialismo acabou. Capitalismo Wins, ponto final. O debate válido é “qual forma de capitalismo”.

Fonte/Autor: Alisson Ranieri Berkenbrock

Deixe uma resposta